Como fazer a correta leitura de capacitores de cerâmico e poliéster.

Aprenda a decifrar capacitores

Os capacitores cerâmicos, desde um fino capacitor de 10pF até um capacitor de 82pF, com um tamanho um pouco maior, apresentam a inscrição de seu código e valor em seu corpo, de uma forma que não apresentam nenhuma dificuldade quando a sua leitura e identificação conforme mostramos na imagem IMG-01.


Capacitores cerâmicos

O problema ocorre devido a precisarmos representar valores com as casa decimais, por exemplo: 1,2pF; 1,5pF; 1,8pF; a incrição no corpo do componente, normalmente é feita utilizando-se um ponto (.) entre os números ou a letra p, que não significa a palavra ponto, mas sim picofards, ficando inscrito;

1p2; 1p5; 1p8


Capacitores cerâmicos com casa decimal -IMG-02

de forma a representar 1 picofarad e 2 décimos, 1 picofarad e 5 décimos e 1 picofarad e 8 décimos respectivamente, como mostra IMG-02.

Quanto a inclusão de zero na codificação, a convenção de identificação impressa no corpo no componente se modifica a partir dos valores acima das centenas de picofarads.

A codificação segue a seguinte convenção:

– Os dois primeiros números impressos especificam o valor da capacitância.

– O terceiro número indica o número de zeros que há após os dois primeiros números.

Similar a codificação de resistores, só que nos resistores usamos um código de cores e para cada cor existe um número correspondente, e a terceira faixa indica a potência de dez (10a) com os capacitores usamos números mesmo, apresentado na IMG-03.

Sendo assim, 100pF; 120pF; e 150pF, são codificados como:

101; 121; 151

porque só temos um zero após os dois números marcadas.

10+0= 100pF ou 10×10(1)

12+0= 120pF ou 12×10(1)

15+0= 150pF ou 15×10(1)

Todos os valores dados em picofarads (pF)

Nos demais casos temos:

102; 122; 152;

serão lidos como, respectivamente:

10+00= 1000pF (1nF) ou 10×10(2)

Incrição como potência de 10 – IMG-03

Incrição em nanofarads – IMG-04

15+00= 1500pF(1n5F) ou 12×10(2)

Para reforçamos o seu entendimento
temos:

103; 123; 153

Serão lidos como respectivamente:

10+000= 10000pF(10nF) ou 10×10(3)

12+000= 12000pF(12nF) ou 12×10(3)

15+000= 15000pF(15nF) ou 15×10(3)

Uma vez entendida a codificação em picodarads, como a sua respectiva potência de
dez, passemos a codificação expressa em nanofarads.

Para valores de 1000, ou 100000 picofarads, na codificação podemos suprimir os zeros
da potência de dez e substitui-los por uma letra n minúscula; já que sabemos
que 1n=1000p.

deste modo, para os valores apresentados temos a seguinte codificação:

1n; 10n e 100n (farads); tendo o seu valor exatamente como é lido, IMG-04.

Na faixa de 1000pF a 8200pF, temos capacitores comerciais com valores de 1200, 1500,
2200pF, etc… a codedificação não é feita colocando-se o n minúsculo no lugar do
ponto (ou virgula), ou seja, da forma correta:

1n2, 1n5, 1n8, 2n2, etc.


Inscrição em nanofarads com casa decimal

Existe também a possibilidade de especificarmos uma capacitância em microfarads(uF), relembrado que : 1pF = 0.001uF ou 1pF = 10(-3)uF.

Desta forma, os capacitores de 1000; 1500. 1800; 2200 picofarads que correspondem respectivamente a 0,001; 0,0015; 0,0018 e 0,0022 em microfarads, tem a seguinte codificação no componente:

,001=1000(pF)

,0015=1500(pF)

,0018=1800(pF)

,0022=2200(uF)

Utiliza-se o ponto para substituir o zero vírgula (0,), uma vez que o corpo do componente não é bastante largo para ler tantos números impressos.

CAPACITORES DE POLIÉSTER

Os capacitores de poliéster, a exemplo dos capacitores cerâmicos utilizam vários tipos de codificação para um mesmo valor de capacitância; mas sempre baseados nas escalas de representação em pico, nano e microfarads.

Sendo assim, um capacitor de 10000 picofarads pode ter seu valor representado de três formas diferentes:


Formas de inscrição para 10.000 picofarads

10n ou 0.1 ou u01

Conforme indicado na IMG-06.

Na prática a letra u substitui o 0,; passando a representar estão 0,01 microfarads por
u01.

Onde encontramos capacitores com a impressão:

u1; u47 e u82

podemos ler, respectivamente:

0,1; 0,47 e 0,82 microfarads.

Um capacitor de poliéster tem a codificação de seu valor capacitivo, um tanto quanto confusa para o principiante.

Por exemplo um valor impresso:
.1K

pode ser interpretado erroneamente como sendo de 1000 picofarads, porque a letra K é muitas vezes subentendida como Kilo(1000), o que neste caso está errado, porque K, nesta situação indica a tolerância do capacitor.

Um caso pior do que este é a inscrição:

.1M50

Qual seria a leitura errada, a qual somos induzidos a fazer?

Observe que podemos ler erroneamente esta inscrição como que simbolizando uma capacitância de 1,5uF; porque a letra M algumas vezes é considerada como microfarads, e como o u tem substituído o ponto em muitos casos, temos uma
interpretação errada do valor impresso.

 

 

TABELA 01
PICOFARAD A B
1 1 1p0
1,2 1.2 1p2
1,5 1.5 1p5
1,8 1.8 1p8
2,2 2.2 2p2
2,7 2.7 2p7
3,3 3.3 3p3
3,9 3.9 3p9
4,7 4.7 4p7
5,6 5.6 5p6
6,8 6.8 6p8
8,2 8.2 8p2
10 10 10
12 12 12
15 15 15
18 18 18
22 22 22
27 27 27
33 33 33
39 39 39
47 47 47
56 56 56
68 68 68
82 82 82
100 101 n1
120 120 n12
150 151 n15
180 181 n18
220 221 n22
270 271 n27
330 331 n33
390 391 n39
470 471 n47
560 561 n56
680 681 n68
820 821 n82
1000 102 1n

Como identifica-la corretamente?

Para isso devemos saber que as letras M, K e J impressas junto aos valores
numéricos no corpo de um capacitor, indicam a sua tolerância conforme a seguir:

– M=20% de tolerância

– K=10% de tolerância

– J=5% de tolerância

Sendo assim, retomemos o valor impresso:

.1M50

A sua leitura correta seria:

– o primeiro dígito 1 – indica valor numérico do capacitor

– o segundo dígito – M – indica valor numérico do mesmo, no caso 20%

– o terceiro dígito – 50 – indica tensão de trabalho do capacitor

.1uF = 100000pF +- 20% com a tensão de trabalho=50v

Devemos salientar que os capacitores de maior distribuição no mercadol, se encontra na faixa de tolerância de 20% no caso o M.

Capacitância com tolerância menores do que 5% não são fáceis de serem encontradas no comércio, e quando são encontradas, apresentam um custo elevadíssimo, comparados aos de valores comercialmente existentes (10%, 20% e 5%).

A tolerância indica que o valor real do componente, não é exatamente aquele marcado no seu corpo, podemos ter seu valor variando dentro da faixa indicada na tolerância.

Um capacitor que tem a letra M incluída no seu código; tem sua capacitância nunca maior ou menor do que 20% do valor inscrito na peça, podendo variar

7%, 10%, 15%, etc.

Na prática sabemos que muito raramente um capacitor tem o valor de sua capacitância variando para menos, mais sim na maioria dos casos sempre variando para mais.

Para observamos o porque da tolerância devemos ter em mente a constituição física de um capacitor, que consiste de duas lâminas condutoras, separadas por um dielétrico que é depositado, espalhado entre elas, sendo que isto indica a sua capacitância.

Para os valores de tolerância inferior a 20%, a tecnologia de fabricação é mais moderna e apurada, aumentando o seu custo, bem como a sua qualidade.

Ressaltamos que os números impressos após as letras M, K ou J, indicadores da tolerância, indicam o valor de tensão de trabalho do capacitor.

Quando temos impresso:

.15M50

temos:

– valor da capacitância – .15uF ou 0.15uF ou 150.000pF ou 150nF

sua tolerância – M – 20% (de 120.000pF a 180.000pF).

– Sua tensão de trabalho – 50V(volts)

No caso:

.1K100

temos:

– valor da capacitância – .1uF ou 0.1uF ou 100.000pF ou 100nF.

– valor da tolerância – K – 10% – de 90.000pF a 110.000pF

– Tensão de trabalho – 100V (volts).

Como parte final, devemos frisar que alguns códigos com postos por números e letras podem vir impressos antes do código referente ao valor da capacitância, separado deste por um hífen (-).

Este código indica o modelo do capacitor para o fabricante, por exemplo; podemos
encontrar a inscrição:

2A – 102

 

 

TABELA 02
PICOFARAD A B C D
1.000 1n .001 102
1.200 1n2 .0012 122
1.500 1n5 .0015 152
1.800 1n8 .0018 182
2.200 2n2 .0022 222
2.700 2n7 .0027 272
3.300 3n3 .0033 332
3.900 3n9 .0039 392
4.700 4n7 .0047 472
5.600 5n6 .0056 562
6.800 6n8 .0068 682
8.200 8n2 .0082 822
10.000 10n .01 u01 103
12.000 12n .012 u012 123
15.000 15n .015 u015 153
18.000 18n .018 u018 183
22.000 22n .022 u022 223
27.000 27n .027 u027 273
33.000 33n .033 u033 333
39.000 39n .039 u039 393
47.000 47n .047 u047 473
56.000 56n .056 u056 563
68.000 68n .068 u068 683
82.000 82n .082 u082 823
100.000 100n .1 u1 104
120.000 120n .12 u12 124
150.000 150n .15 u15 154
180.000 180n .018 u18 184
220.000 220n .22 u22 224
270.000 270n .27 u27 274
330.000 330n .33 u33 334
390.000 390n .39 u39 394
470.000 470n .47 u47 474
560.000 560n .56 u56 564
680.000 680n .68 u68 684
820.000 820n .82 u82 824
1 microF 1 1 1u 105

tabela de identificação para capacitores de poliéster

Que significa:

2A – modelo de capacitor

102 – valor de capacitância- 10 x 10(2)pF = 1000pF

Na TABELA-01 apresentamos uma tabela que pode ajudar a decifrar os códigos indicadores das capacitâncias desses capacitores cerâmicos: na primeira coluna indicamos o valor da capacitância como está estampado no corpo do componente, expresso em picofarads.

Na segunda coluna – (A) o valor da capacitância como é expresso no código em que o terceiro dígito, o número de zero ou potência de 10.

Na terceira coluna – (B) – a apresentamos a notação onde as letras P e N aparecem, no lugar de uma vírgula.

Na IMG-08, apresentamos uma tabela similar para capacitores de poliéste; onde na primeira coluna, temos o valor expresso em picofarads, e nas outras colunas como normalmente estes valores vêm impressos no corpo do componente. Na coluna – (A) – a letra n é colocada no lugar de uma vírgula e esta indicação

expressa valores em nanofarads.

Na coluna – (B) – a representação é feita através de um ponto(.) no lugar do zero vírgula(0,) e o valor esta na faixa do microfarads.

Na coluna -(C) – a letra grega u, substitui o ponto(.) e a capacitância também a potência de 10 ou o número de zeros a ser acréscidos aos dois primeiros para dar o valor de capacitância, no caso da escala de picofarads.

Deve ser lembrado que as letras K, M e J indicam a tolerância do capacitor e os números que seguem estas letras indicam a tensão de trabalhor.

Com estas dicas, esperamos que a indentificação doso capacitores já feita de uma forma mais simples e correta.

A importância deste componente é muito grande, já que um valor inadequado pode
comprometer o funcionamento total do circuito ao qual está acoplado

4 Comments

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.





3 − um =